Youtube Twitter Facebook Instagram

Domingo - 17.02.2019

Céu encoberto com pancadas de chuva a partir da tarde


MÍNIMA: 14º - MÁXIMA: 24º

Diário Rio do Peixe

Domingo - 17.02.2019

Céu encoberto com pancadas de chuva a partir da tarde


MÍNIMA: 14º - MÁXIMA: 24º

ALESC

Deputado quer proibir radares em Santa Catarina

Valdir Cobalchini (MDB) apresentou o primeiro projeto do ano na Assembleia Legislativa

11/02/2019 - 20:05:02 - Atualizada em 12/02/2019 - 01:50:26
CBN

O deputado do MDB Valdir Cobalchini apresentou o primeiro projeto do ano na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc): trata-se de um texto que, se aprovado, vai permitir que os motoristas dirijam a qualquer velocidade nas rodovias estaduais catarinenses - inclusive acima do limite sinalizado nas estradas. O argumento usado pelo parlamentar para justificar a proposta é que "os radares são meramente arrecadatórios, punitivos e não educativos". O texto ainda precisa tramitar internamente na casa.

Um levantamento feito pela reportagem da CBN/Diário no site do Detran e a partir de dados públicos apontou que desde 2014 até agora, Cobalchini cometeu pelo menos 36 infrações de trânsito - a maioria delas (28) por excesso de velocidade. As infrações somam 172 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do deputado. Dentre as irregularidades, há 13 multas por trafegar com velocidade até 20% superior ao limite da via; 9 por excesso registrado entre 20% e 50% do máximo da estrada; 5 por dirigir com velocidade 50% maior que o limite; e uma por não reduzir a velocidade em área com controle feito por agente de trânsito.

Em entrevista ao Direto da Redação - Segunda edição, desta segunda-feira (11), Valdir Cobalchini disse que nenhuma das 28 infrações por excesso de velocidade foram cometidas por ele:

— Eu desafio que me mostrem que eu estava conduzindo estes veículos. O carro estava em meu nome, portanto eu tenho que pagar estas multas — comentou o deputado do MDB, Valdir Cobalchini.

A Polícia Militar Rodoviária, por sua vez, não concorda com o projeto nem com o argumento da falta de caráter pedagógico dos radares no Estado. O comandante da corporação, tenente-coronel Evaldo Hoffmann, disse que não foi "sequer consultado" pelo deputado para a elaboração do texto e afirmou que esses equipamentos, além de flagrarem veículos a mais de 200 Km/h nas rodovias catarinenses, ajudam a educar os condutores.

— Desde quando assumi o comando da Rodoviária, determinei a proibição do uso de radares ocultos, camuflados ou invisíveis. Esses equipamentos ajudam a identificar os excessos  cometidos pelos motoristas e as punições, que podem ser até uma prisão em flagrante, têm caráter pedagógico sim.

© 2011 - 2019. Todos os direito reservados a Editora Rio do Peixe.