Youtube Twitter Facebook Instagram

Segunda-Feira - 21.01.2019

O calor retorna a Santa Catarina nesta semana


MÍNIMA: 17º - MÁXIMA: 31º

Diário Rio do Peixe

Segunda-Feira - 21.01.2019

O calor retorna a Santa Catarina nesta semana


MÍNIMA: 17º - MÁXIMA: 31º

Colunistas

“Ela abriu as portas do Reino”

Aqui está a serva do Senhor; que se cumpra em mim conforme a Tua Palavra (Lc 1,38)

15/05/2014 - 15:53:01
Dom Frei Severino Clasen

  Com esta saudação de Maria, neste mês mariano, queremos homenagear aquela que gerou o Filho de Deus. Em maio, destacamos a cultura do acolhimento, exaltamos as flores que são levadas a Maria. É tempo forte de devoção e do coração.

  No segundo domingo de maio, Dia das Mães, saudação da ternura que envolve o ser humano criado à imagem de Deus e que faz ecoar dentro de nós o lar cheio de amor e de pertença para aflorar o carinho e segurança. Mês da emoção, das lágrimas porque crianças coroam Nossa Senhora, umedecendo os corações antenados e sensíveis, tomadas pela fé e esperança e lágrimas que entristecem lares pela falta da mãe e do pai.

  Neste ano, maio é também tempo de fertilidade pastoral, testemunho de colegialidade entre os bispos do Brasil que se reúnem em assembleia geral na casa da Mãe em Aparecida. Oportunidade para apresentar o Filho gerado por Maria e revelar aos fiéis como caminho, verdade e vida, fortalecendo a consciência de que cada batizado é cristão que tem direitos e deveres para anunciar uma nova ordem de vida, seguir o mestre na simplicidade e no serviço, dicas para resolver e acolher a todas as pessoas de boa vontade e chamar a todos para um novo sentido de vida, agir em favor dos que padecem: os mais simples, desconhecidos, abandonados e os que sofrem de qualquer tipo de discriminação, doença, solidão e esquecimento. Maria, a mãe de Jesus deu-nos o exemplo: Aqui está a serva do Senhor, está a serviço do Senhor está à disposição do Senhor para o bem maior e para toda a humanidade. Dispor para servir, deixar Deus agir, e ser servo de Deus implica conquista do bem maior. Serve a ela mesma, coloca-se na segurança de Deus e gera segurança para toda a humanidade. Empresta seu útero sagrado, onde é gerado o Filho de Deus feito homem e O dá ao mundo. A humanidade a acolhe, homenageia-a, saúda-a Senhora e Rainha nossa. Ela abriu as portas do Reino para que seu filho reinasse e nós, cristãos, feitos pela graça do batismo, envolvemo-nos nas pastorais, nos serviços da comunidade de fé, nos movimentos, nas celebrações, na profissão digna e justa, buscando o sustento da família, participando das decisões na sociedade, na Igreja e buscando construir um mundo justo e solidário ensinado pelo Filho de Maria, nosso Senhor, que ressuscitou dos mortos e vive entre nós. Ele está entre nós e nos chama para servir com generosidade para converter corações machucados e sofridos.

  Desejamos a todos muitas bênçãos, graças, saúde e paz no cotidiano. Que nada leve ao cansaço. Permanecemos fieis aos ensinamentos de Jesus, buscando em Maria proteção e alegria de servir e viver. Que cada família tenha a ternura da acolhida e os frutos da concórdia e proteção de tudo que prejudica a pessoa. Assim aprendemos a acolher a todos, sobretudo os que mais sofrem e vivem sem pátria, sem família e sem lar.  Aprendamos com ela: “Faça-se em mim segundo a Tua Palavra”.

Dom Frei Severino Clasen

Ele nasceu em 1954, em Petrolândia (SC), foi ordenado padre em 1982 e bispo em 2005. Estudou Filosofia e Teologia em Petrópolis (RJ). Tem pós-graduação em Administração para a Organização do Terceiro Setor na Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP). Além disso, foi coordenador do Departamento de Santuários da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil e fez parte do Conselho Diretor do Serviço Franciscano de Solidariedade (Sefras), do Convento de São Francisco, em São Paulo.

Na 49ª Assembleia Geral da CNBB, dom Severino foi eleito presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato, com um mandato de quatro anos.

Espalhe essa coluna:

© 2011 - 2019. Todos os direito reservados a Editora Rio do Peixe.