Youtube Twitter Facebook Instagram

Segunda-Feira - 21.01.2019

O calor retorna a Santa Catarina nesta semana


MÍNIMA: 17º - MÁXIMA: 31º

Diário Rio do Peixe

Segunda-Feira - 21.01.2019

O calor retorna a Santa Catarina nesta semana


MÍNIMA: 17º - MÁXIMA: 31º

Colunistas

Conservação das sementes nativas

Núcleo de produção Agroecológica realiza Reunião Técnica em Rio das Antas

01/09/2017 - 16:29:02
Charles Seidel

Integrantes do Núcleo Alto Vale do Rio do Peixe, reuniram-se neste dia 30 de agosto na Câmara de Vereadores de Rio das Antas. Com agenda variada os presentes discutiram sobre vários assuntos, sendo que o momento técnico contou com a palestra sobre Produção e Armazenamento de Sementes Orgânicas, ministrada pelo Pesquisador da Epagri de Campos Novos, Eng. Agrônomo, Me. Cirio Parizoto.

Em sua palestra o Engenheiro agrônomo frisou a importância da conservação da base genética das plantas, ou seja, de que o produtor e seus grupos, mantenham estratégias de  conservação de sementes e mudas. O palestrante Círio,  frisou que a manutenção das sementes nativas e a produção de sementes em escala é fundamental para a sobrevivência da agroecologia como um todo. Além de mostrar a importância, foi demostrado o método de tratamento térmico das sementes de hortaliças em geral.

No mundo todo há diversos grupos agroeocológicos preocupados com a preservação e qualidade das sementes. Afinal, se nós perdermos um material, pode ser que se perca uma variedade que tenha características exclusivas, que futuramente poderiam ser a solução para a cura de doenças como o Câncer. É isso mesmo, e além disso, os materiais originais, como milhos, feijões, hortaliças, geralmente são mais resistentes à doenças e pragas, bem como, na sua maioria, mais saborosos. Essas características acabam se perdendo, pois hoje, os processos de “melhoramento “ genético, visam apenas adaptação das sementes a determinados herbicidas ou resistência a pragas, na sua maioria, através da transgenia. Ou seja, retirada de um gene “alienígena” de outra espécie, para inclusão num vegetal, ou vice versa.

Além disso foram discutidas ações de organização, bem como de circuito curto de produção e distribuição, que visa a troca e venda de produtos entre os núcleos, sendo estes localizados em Rio das Antas, Caçador, Curitibanos, Fraiburgo, Videira. Outro circuito seria entre Joaçaba e Água Doce, onde também tem dois grupos de produção.

No decorrer da tarde também foi realizado uma troca de sementes e mudas onde os produtores, técnicos e a comunidade puderam conhecer e descrever os benefícios desses alimentos.

Enfim, o evento foi importante para integração, troca de experiências e informações técnicas que fortalecem os sistemas participativos de certificação agroecológica.

Lembrando que Rede Ecovida é quem pode certificar de forma participativa e a um baixo custo para produtores praticantes da produção orgânica ou agroecológica. Nós não poderíamos de deixar de participar dessa organização e apoiar ações nesse sentido, como foi o caso desse evento apoiada pela Epagri, finalizou o palestrante, Cirio Parizotto.

Charles Seidel

Eng. Agrônomo, Prof. Universitário. M.Sc. Engª Agrícola. Gestão da água, climatologia e agroeocologia

Espalhe essa coluna:

© 2011 - 2019. Todos os direito reservados a Editora Rio do Peixe.