Youtube Twitter Facebook Instagram

Sexta-Feira - 17.08.2018

Noite: Céu estrelado Madrugada: Céu estrelado Manhã: Ensolarado


MÍNIMA: 8º - MÁXIMA: 21º

Diário Rio do Peixe

Sexta-Feira - 17.08.2018

Noite: Céu estrelado Madrugada: Céu estrelado Manhã: Ensolarado


MÍNIMA: 8º - MÁXIMA: 21º

CONCÓRDIA

Vítima de acidente grave conhece policial que prestou o primeiro atendimento

Jair Alves trafegava de moto em abril e foi atingido por um carro. A soldado Andressa ajudou até a chegada dos Bombeiros

09/08/2018 - 02:11:02 - Atualizada em 09/08/2018 - 12:36:59
Rádio Aliança

O motociclista Jair Alves dos Santos, que sofreu um grave acidente na noite do dia 18 de abril deste ano em Concórdia, e que teve uma perna amputada em função dos ferimentos, recebeu na tarde de terça-feira, dia 07, no Bairro Sintrial, a visita da policial militar Andressa Ludvig, que fez o primeiro atendimento a ele na noite da colisão. Jair relatou dias depois, que queria conhecer a soldado. 

Além de trabalhar em um supermercado durante o dia, Jair trabalhava como motoboy à noite e estava indo para casa, por volta das 23h, no dia do acidente, quando foi atingido por um veículo que transitava em alta velocidade na Rua Marcelino Ramos. A Polícia Militar chegou praticamente na hora e a soldado Andressa foi quem prestou o primeiro atendimento. “O carro que atingiu Jair não obedeceu a uma ordem de parada da guarnição, inclusive quase nos atropelou. Nós ouvimos um barulho muito forte logo depois, que foi o momento em que o carro atingiu a moto”, lembra ela. “O Jair estava no chão e sangrava muito. Eu precisava fazer algo e decidi estancar o sangramento até a chegada dos Bombeiros”, relata a policial. “Pedi a camisa de um homem que estava próximo e fiz o que pude”, conta Andressa. “Fico feliz que pude ajudar e que está bem hoje”, destaca. 

Os Bombeiros Voluntários chegaram e seguiram o atendimento. Em seguida conduziram Jair ao Pronto Socorro do Hospital São Francisco. Ele ficou internado por 18 dias, entre UTI e quarto normal. “Quando acordei eu não lembrava de muita coisa do acidente, mas sabia que uma policial tinha me atendido, eu tinha isso na minha cabeça, sabia que ela tinha me ajudado”, conta Jair. “Eu queria conhecer, tinha essa vontade e estou realmente feliz. Ela, assim como os bombeiros e médicos, salvaram minha vida. Os médicos disseram a minha esposa, que se eu perdesse um pouco mais de sangue, não estaria aqui hoje, então eu preciso agradecer muito esta policial, pela atitude dela”, relata emocionado.

Durante a visita Jair também revelou que em breve quer conhecer os bombeiros que o atenderam na noite do acidente.

Galeria de Imagens

© 2011 - 2018. Todos os direito reservados a Editora Rio do Peixe.