Youtube Twitter Facebook Instagram

Domingo - 17.02.2019

Céu encoberto com pancadas de chuva a partir da tarde


MÍNIMA: 14º - MÁXIMA: 24º

Diário Rio do Peixe

Domingo - 17.02.2019

Céu encoberto com pancadas de chuva a partir da tarde


MÍNIMA: 14º - MÁXIMA: 24º

ABAIXO DA MÉDIA NACIONAL

Caçador está entre as cidades que menos investem na saúde

Conselho Federal de Medicina divulgou levantamento do investimento médio das prefeituras por pessoa. Em Caçador o valor ficou abaixo da média nacional

22/01/2019 - 14:31:31 - Atualizada em 22/01/2019 - 20:59:45
NSC

O Conselho Federal de Medicina divulgou nesta segunda-feira, dia 21, um levantamento do investimento médio por pessoa das prefeituras brasileiras em Ações e Serviços Públicos de Saúde (ASPS), declaradas no Sistema de Informações sobre os Orçamentos Públicos em Saúde (Siops), do Ministério da Saúde.

Em Santa Catarina, o mínimo e o máximo variam de R$ 192,60 a R$ 1.513,80 por pessoa no ano inteiro. No Brasil, varia de R$ 67,54 a R$ 2.971,92. A média de Santa Catarina em relação à média dos municípios foi de R$ 586,13. No total, 181 municípios (61,3%) ficaram abaixo desse índice em 2017. No Brasil, a média foi de R$ 403,37.

A cidade com maior média per capita de investimento em saúde de Santa Catarina é Paial, no Oeste, a pouco mais de 30 quilômetros de Chapecó. O pequeno município de 1.577 habitantes aplicou R$ 1.513,77 por pessoa no setor em 2017. Logo atrás vêm Ermo e Presidente Castello Branco, com R$ 1.471,75 e R$ 1.402,74, respectivamente. As 18 mais bem colocadas no estado têm até 4,1 mil habitantes.

Entre as maiores, a mais bem colocada é Balneário Camboriú, que gastou em média 852,68 em 2017 por cidadão. Na outra ponta está a vizinha Camboriú, o pior índice do estado. A cidade foi a única que aplicou menos de R$ 200 por morador no ano inteiro — R$ 192,58.

Pela lei, o governo federal e os municípios devem investir 15% de tudo o que arrecadam em saúde. Já o governo de Santa Catarina, por força da Emenda Constitucional 72/16, deveria aplicar o mínimo de 13% em 2017, ano no qual se baseia o estudo. A mesma norma prevê aumento do percentual mínimo para 15% em 2019.

Confira a per capita das maiores cidades da região:

Caçador 

Gasto 2017: R$ 370,8

População: 77.323

Videira

Gasto 2017: R$ 371,8

População: 52.066

Fraiburgo

Gasto 2017: R$ 298,0

População: 36.261

Joaçaba

Gasto 2017: R$ 420,1

População: 29.608

Curitibanos 

Gasto 2017: R$ 307,1

População: 39.566



© 2011 - 2019. Todos os direito reservados a Editora Rio do Peixe.