Youtube Twitter Facebook Instagram

Sexta-Feira - 22.09.2017

O ar seco continua comandando as condições do tempo em todas as regiões de SC


MÍNIMA: 13º - MÁXIMA: 33º

Diário Rio do Peixe

Sexta-Feira - 22.09.2017

O ar seco continua comandando as condições do tempo em todas as regiões de SC


MÍNIMA: 13º - MÁXIMA: 33º

SANTA CECÍLIA

Estudante precisa ajuda para tratamento após acidente

Karyn Izabela Granneman Blardin, de 23 anos, foi vítima de um grave acidente na ponte do Castelhano em 2015. Ela e mais 49 estudantes seguiam de Santa Cecília para Caçador

17/05/2017 - 10:07:24 - Atualizada em 17/05/2017 - 20:21:56
Com informações de Andressa Ramos

A estudante Karyn Izabela Granneman Blardin, de 23 anos, pede ajuda das pessoas para conseguir realizar o seu maior sonho, atualmente, voltar a caminhar. O tratamento custa mais de R$ 500 mil, e será realizado em duas etapas, uma no Brasil e outra no exterior. Só no Brasil serão em média de 7 a 10 meses de tratamentos. Cada visita à Londrina custa em média R$ 15 mil. E fora do país durante 30 a 60 dias, o custo ultrapassa os R$ 400 mil reais. 

História

A jovem foi vítima de um grave acidente em 2015. Ela e mais 49 estudantes partiram de Santa Cecília, onde mora, para a faculdade em Caçador. Era o único dia da semana que precisa ir, pois estava iniciando o Trabalho de Conclusão de Curso. “Quando o ônibus saiu de Santa eu dormi”. Karyn acordou quando o ônibus já tinha se chocado contra um caminhão. Os dois motoristas e um estudante morreram. Os demais tiveram ferimentos, apenas Karyn ficou com sequelas.

Com o choque ela foi arremessada para fora de seu banco e acabou deitada no corredor. A água da chuva caia sobre seu rosto, e ela pedia ajuda para levantar. Acreditava que faltava força, mas na verdade, já era o efeito da lesão que causou a paraplegia. Diagnosticada com essa condição, Karyn não se aquietou. Pesquisou na internet algum meio de voltar a caminhar. Fez alguns tratamentos e fisioterapias, até que encontrou um médico que deu a esperança para esse desejo. Como o tratamento é de altíssimo custo, ela criou uma página no Facebook “Anda logo Karyn” onde mostra um pouco do que já fez e pede a ajuda das pessoas.


Ações beneficentes na cidade onde a jovem mora já foram feitas, mas agora suas amigas solicitam que ela saia dos limites da cidade e que mais pessoas conheçam a sua história. Karyn explica que o tratamento precisa ser feito fora do Brasil, pois não é permitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. A esperança é a de que, pelo menos, com o andador a jovem volte a andar. “Qualquer melhora que vier é lucro”, ressalta.

Mesmo com o acidente, Karyn se formou no curso de Engenharia Ambiental, e agora faz pós-graduação e MBA em engenharia de produção. Quem tiver interesse em ajudar a estudante pode entrar em contato através do telefone (49) 99937-5207. 

O resultado do laudo cadavérico apontou que o motorista do caminhão, Danilo de Souza Kubis, de 24 anos, fez uso de cocaína e clobenzorex.

Galeria de Imagens

© 2011 - 2017. Todos os direito reservados a Editora Rio do Peixe.