Youtube Twitter Facebook Instagram

Quinta-Feira - 15.11.2018

Tempo muda ao longo da semana e dias de sol dão lugar à chuva


MÍNIMA: 14º - MÁXIMA: 24º

Diário Rio do Peixe

Quinta-Feira - 15.11.2018

Tempo muda ao longo da semana e dias de sol dão lugar à chuva


MÍNIMA: 14º - MÁXIMA: 24º

Colunistas

Beira Rio

PENSATA SBT pessimista: “A TV mais feliz do Brasil”. SBT otimista: “Brasil, Ame-o ou deixe-o”. Ou simplesmente Silvio Santos sendo puxa saco.

08/11/2018 - 01:25:02
Osni Ribeiro Mello

O vereador Moacir D’Agostini (DEM) fez indicação para que a Prefeitura realize a manutenção dos equipamentos da avenida Beira Rio. Moacir indicou a manutenção do pavimento que apresenta buracos, reparação de fios de energia expostos e uma atenção especial a “Passarela do Amor” que tem espaços muito grandes, que pode passar uma criança. O vereador sugeriu a colocação de uma tela de segurança. O vereador Rubiano Schmitz lembrou que a pinguela foi reformada há pouco tempo.

13º injetará cerca de R$ 211 bilhões na economia brasileira

No fim do ano milhões de trabalhadores recebem o 13º salário, uma gratificação salarial paga a todo empregado que atua com carteira assinada. O benefício existe por meio da Lei 4.090 garantindo um salário extra no final de cada ano.

Esse incremento financeiro deve injetar na economia brasileira mais de R$ 211,2 bilhões, segundo estimativas do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. O montante representa aproximadamente 3% do Produto Interno Bruto (PIB) do País.

O décimo terceiro movimenta, principalmente, o comércio. Uma vez que grande parte da população utiliza o benefício para quitar dívidas e também para comprar presentes para familiares e amigos. De acordo com o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Chapecó (CDL) Clóvis Afonso Spohr esse é o período de maior movimentação econômica no setor. “Prova disso é o Natal que é considerada a melhor data para as vendas. Isso ocorre porque, em geral, nesse período o poder de compra de muitas pessoas é retomado”, observa.

Segundo Spohr, a indicação da entidade é de que os lojistas invistam em acordos com consumidores inadimplentes oportunizando a quitação de dívidas com a chegada do décimo terceiro. “Somente em Chapecó são cerca de 44 mil pessoas negativadas as quais podem aproveitar esse incremento na renda no fim do ano para retomar o poder de compra”.

Cerca de 84,5 milhões de brasileiros serão beneficiados com rendimento adicional, em média, de R$ 2.320. “Queremos ressaltar a importância de garantir aos consumidores que tenham o seu nome limpo no mercado a fim de que possam ter a tranquilidade de efetuar suas compras, uma vez que a negativação impede o acesso ao crédito, a compra a prazo e também o acesso a financiamentos de imóveis e veículos, por exemplo”, observa o diretor de SPC da CDL Chapecó, Edson Piana.

Dresch: Refis de R$ 172 milhões é estímulo à sonegação


"Novamente o governo catarinense garante mais vantagens para os devedores de impostos do que para aqueles que pagam em dia os tributos. É um mau exemplo, um estímulo à inadimplência e à sonegação", afirmou o líder do PT, deputado Dirceu Dresch, sobre as Medidas Provisórias 224 e 225, que criam um novo Programa de Recuperação Fiscal - Refis relativo a impostos sobre herança (ITCMD) e ICMS.

Conforme Dresch, com a redução de juros e multas para quem aderir ao Refis, o governo do Estado estima abrir mão de arrecadar mais de R$ 172 milhões.
"A situação é ainda mais grave quando entendemos que o custo do imposto está embutido no preço da mercadoria que é comprada pelo consumidor. Ou seja, a empresa devedora cobrou o imposto do cidadão e não repassou para o Estado. Todos os últimos anos o governo do Estado implantou um Refis que beneficiou empresas que fazem uso dessa prática. É um insulto ao bom pagador. Esse dinheiro fará falta nos serviços públicos, na melhoria da saúde, da educação, da segurança ou para recuperação de rodovias."

As MPs estão em debate na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa. "É preciso abrir a caixa preta das isenções fiscais. O governo não explica por que é tão difícil cobrar esses valores aplicando os juros e multas. Quais as empresas beneficiadas?", questionou Dresch.

Governador eleito divulga equipe de transição

O governador eleito Carlos Moisés da Silva anunciou nesta quarta-feira (7), os nomes que compõem oficialmente a equipe de transição de governo em Santa Catarina. A equipe é composta por onze pessoas, sob a coordenação do professor Luiz Felipe Ferreira, do departamento de Ciências Contábeis da UFSC.

Além dele, fazem parte do grupo Fabiano Ramalho, Marcelo Haendchen Dutra, Valdez Rodrigues Venâncio, André Pinheiro de Oliveira, Naiara Czarnobai Augusto, Jorge Eduardo Tasca, Wanderlei Pereira das Neves, Iara Costa Leite, Queila de Araújo Duarte e Luís Augusto Araújo. Os nomes serão publicados ainda nesta quarta-feira no Diário Oficial do Estado.

Moisés salientou ter optado, junto com a vice-governadora eleita, Daniela Reinehr, por uma equipe técnica para conduzir o processo e que há um caráter de multidisciplinaridade nos escolhidos. Além deles, existe uma equipe de apoio, que trabalha de forma voluntária, com o objetivo de facilitar o trabalho do futuro governador no recebimento de informações e na montagem de um raio-X da máquina pública.

“O importante é que a gente possa receber essas informações e trabalhar esses dados para ter um radiograma dentro da administração pública. É preciso mostrar o que a gente tem e as soluções para os problemas eventualmente detectados”, disse Moisés.

Na visão do coordenador do processo de transição, professor Luiz Felipe Ferreira, essa etapa da transição está focando principalmente na questão financeira e na dívida ativa do Estado. Todas as informações serão compiladas até o fim da próxima semana. A partir daí o foco será na elaboração do projeto de reforma administrativa.

“As informações são as mais amplas possíveis e agora tem um trabalho de consolidação desses dados. O que pode ser visto até o momento é que o futuro governador tem um grande compromisso frente às contas públicas”, afirmou Ferreira.

Competição

Correu a notícia que o economista Paulo Guedes, que será o futuro ministro da fazenda de Jair Bolsonaro, pretende aumentar a competição no mercado financeiro entregando o Banco do Brasil para o Bank of América. Eu devo estar louco, por que nas aulas de teoria econômica não faltei. Nessas aulas aprendi que o para aumentar a competição tem que ter mais oferta, ou seja, mais bancos. Logo a medida do senhor Guedes pode ser boa para seus amigos, mas é péssima para os brasileiros.

Ciro e Marina 

Os candidatos a presidente derrotados no primeiro turno Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede) se reuniram nesta quarta-feira (7), em Brasília. Entre os temas discutidos estão estratégias de oposição ao governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). "Procurei Marina Silva hoje para uma conversa. O encontro aconteceu na sede da Rede, em Brasília. Falamos sobre o futuro do Brasil, principalmente em relação à defesa da institucionalidade democrática, dos interesses nacionais e da pauta das populações mais vulneráveis", disse Ciro em suas redes sociais. "Trocamos ideias sobre o desafio de uma oposição democrática, que seja comprometida com o desenvolvimento sustentável, a defesa das instituições e do interesse nacional", escreveu Marina.

Puxa saco

O Brasil tem uma longa história de convivência pacifica com as demais nações do mundo. Motivo pelo qual jamais foi alvo de atos terroristas e ações do gênero. A mudança da embaixada do Brasil proposta pelo presidente eleito Jair Bolsonaro, de Tel Aviv para Jerusalém, pode acabar com esta neutralidade, assim como já prejudicou alguns empresários que estavam para fechar negócios com países árabes. Na verdade, deixar tudo como está seria uma grande oportunidade para as empresas brasileiras. Desde que a vontade de puxar o saco de Donald Trump não seja a nossa política.

Osni Ribeiro Mello

Olá, eu sou Osni Ribeiro Mello, jornalista, administrador de empresas e Engenheiro Civil. Depois de ter passado pelos jornais: Gazeta Sul, Folha da Cidade e Informe e por todas as editorias. Atividades que consumiram 15 anos de minha vida e me deram muita experiência, resolvi que muito mais que dar a notícia eu apontaria os erros e as soluções. Pronto, virei colunista e instantaneamente odiado por escrever demais. De qualquer forma o portal www.diarioriodopeixe.com.br e o Jornal Extra resolveram apostar numa coluna de informações políticas e aqui estou tentando consertar o mundo e levando as notícias com uma pitada de humor e senso critico. Também mantenho o osnirmello.blogspot.com.br, blog onde divulgo as ideias que podem mudar o nosso mundo, ou não.

Espalhe essa coluna:

© 2011 - 2018. Todos os direito reservados a Editora Rio do Peixe.