Youtube Twitter Facebook Instagram

Segunda-Feira - 24.09.2018

Primavera inicia com temperaturas altas na região


MÍNIMA: 14º - MÁXIMA: 31º

Diário Rio do Peixe

Segunda-Feira - 24.09.2018

Primavera inicia com temperaturas altas na região


MÍNIMA: 14º - MÁXIMA: 31º

Colunistas

Buscai as coisas do alto, se de fato ressuscitastes com Cristo

Iniciamos o mês de abril proclamando a ressurreição de Cristo

19/04/2018 - 01:23:59
Dom Frei Severino Clasen

Iniciamos o mês de abril proclamando a ressurreição de Cristo. Esta é a razão da nossa fé e esperança. Procuramos o sentido da vida, razão para viver e queremos viver com dignidade. Eis o caminho a ser trilhado. Vencendo os obstáculos existenciais, aceitando a mensagem do Evangelho na nossa vida estamos nos abastecendo do verdadeiro sentido da mensagem de Jesus Cristo. Não podemos querer um cristianismo sem cruz e sem carne. Jesus venceu a morte de cruz para que nós nos esforcemos na vida para não nos deixarmos abater pelo desânimo, na busca constante do bem, construindo relações fraternas com todos os nossos semelhantes.

A festa da Páscoa é a vitória que Jesus nos oferece para que com Ele também abracemos a cruz e vençamos as fraquezas e obstáculos da vida. A vitória do Ressuscitado é o estímulo para vencermos toda a forma de violência e deixarmos que o bom Espírito nos conduz na Igreja e na sociedade, sendo sal da terra e luz do mundo. A Páscoa, no Ano Nacional do Laicato, haverá de atualizar, arejar e encorajar os cristãos leigos e leigas na edificação de relações fraternas entre nós, abandonando os vícios, a sede do poder destruidor e toda a forma de privilégio e injustiça, a começar na própria família. Não podemos imaginar uma família cristã que não se apega à mensagem de Jesus Cristo que ressuscitou e venceu a calúnia e toda a forma de perseguição. O amor revelado no alto da cruz é o combustível para nós cristãos enfrentarmos as fraquezas nesse mundo e alimentarmos a unidade, que é a força do amor e da justiça. A revista Vida Pastoral, de março-abril de 2018, diz que “o relato da ressurreição, ao focalizar Pedro e o discípulo amado, dá-nos importantes pistas para balizar nossa experiência de Páscoa: não se chega à fé na ressurreição sem três ingredientes básicos. Estes ingredientes estão relacionados à pessoa do discípulo amado e a Maria Madalena. O amor é o primeiro ingrediente: tanto o discípulo amado quanto Maria Madalena fazem a experiência do amor ao Mestre, o qual, para Pedro, será mais tarde. O segundo ingrediente é a comunidade: Pedro precisa do anúncio de Madalena e da guia do seu companheiro de corrida, que o introduz ao sepulcro e no contato com os sinais; por fim, a compreensão das Escritura será sempre a chave última para acessar a ressurreição”! (p. 53-54).

Com essas indicações, nos movimentemos nas ações pastorais nesse mês pascal e invoquemos as luzes do Espírito Santo pelo êxito da Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, em unidade com o Papa Francisco e com os pastores que nos guiam em nossas Igrejas particulares. É indispensável que no dia a dia, participemos da vida de oração, do alimento dos sacramentos, animando as pastorais e formando os grupos de amigos de Jesus para crescermos na espiritualidade cristã. Assim, saberemos o quanto é importante participar dos grupos de reflexão, das pastorais, dos movimentos e da eucaristia dominical, para estarmos em comunhão com o Cristo que deu sua vida por nós e que nos ensina o caminho da nossa vida nele, pois, com ele vamos ressuscitar um dia.

Não desanimemos e muito menos desviemos a nossa conduta e o nosso caminhar na fé e navida espiritual, para que o Ano do Laicato nos coloque na dinâmica do Reino de Deus, que deve transformar o mundo e, que a Igreja seja sinal e sacramento da presença de Deus entre nós.

Que o Espírito de Deus nos guie e nos ilumine no anuncio de Jesus Cristo que ressuscitou e está vivo entre nós. Sejamos fiéis a Ele!

Que a Mãe de Jesus nos proteja com seu manto sagrado, para vivermos fiéis a Ele em todos os momentos da nossa Igreja diocesana, em comunhão com o Papa Francisco e seguindo as orientações dos Bispos do Brasil.

Dom Frei Severino Clasen

Ele nasceu em 1954, em Petrolândia (SC), foi ordenado padre em 1982 e bispo em 2005. Estudou Filosofia e Teologia em Petrópolis (RJ). Tem pós-graduação em Administração para a Organização do Terceiro Setor na Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP). Além disso, foi coordenador do Departamento de Santuários da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil e fez parte do Conselho Diretor do Serviço Franciscano de Solidariedade (Sefras), do Convento de São Francisco, em São Paulo.

Na 49ª Assembleia Geral da CNBB, dom Severino foi eleito presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato, com um mandato de quatro anos.

Espalhe essa coluna:

© 2011 - 2018. Todos os direito reservados a Editora Rio do Peixe.