Youtube Twitter Facebook Instagram

Segunda-Feira - 23.10.2017

Tarde: Sol com algumas nuvens Noite: Céu com algumas nuvens


MÍNIMA: 3º - MÁXIMA: 21º

Diário Rio do Peixe

Segunda-Feira - 23.10.2017

Tarde: Sol com algumas nuvens Noite: Céu com algumas nuvens


MÍNIMA: 3º - MÁXIMA: 21º

Colunistas

A vida é uma missão

Estamos anunciando o início dos tempos áureos da criação da Diocese de Caçador

04/10/2017 - 14:37:45
Dom Frei Severino Clasen

Estamos anunciando o início dos tempos áureos da criação da Diocese de Caçador. São cinquenta anos de testemunho da alegria, de esperança e de lágrimas quando a vida foi dissecada na sociedade. Muitas conquistas e alegrias devem ser lembradas para que o bem seja sempre promulgado a tristeza não mancha a história de nossa querida gente da Diocese. Sempre foi e continua sendo terra de missão. Fazemos missões nessa terra de linda gente e enviamos missionários para outros lugares, porque aqui cultivamos uma linda cultura e cuidamos da natureza que é pródiga e exuberante.

“A missão é o máximo desafio, é a primeira de todas as causas, é paradigma de toda a vida da Igreja. Não podemos ficar tranquilos no templo, nem dizer: “foi sempre assim”. A vida é uma missão. Motivados pelas orientações do Papa Francisco que convoca para uma “Igreja em saída”, os cristãos leigos evangelizarão com ardor, dinamismo, ousadia, criatividade, coragem e alegria. Não terão medo de se sujar com a lama da estrada” (Doc. CNBB 105, n.173). Encontramos com prazer cristãos alegres, com vida de fé exemplar e que buscam fortalecer a ação evangelizadora na Diocese de Caçador porque tem a graça e a força de Deus no coração.

Estamos anunciando um novo tempo para reforçar o desejo de educar para a vida. Essa é nossa meta, cuidar e acolher toda a forma de vida que revela o sinal da presença de Deus entre nós. Às pastorais e aos movimentos eclesiais, desejo ardentemente que carreguem o sinal vivo e atraente de cuidar e proteger a vida que está em nós e na natureza que é dom de Deus.

A semana da vida (14 a 21/09) nos desafiou a olharmos com carinho para a vida desde a sua origem. Alguns ficam justificando que “até nascer ainda não é vida” e por isso pode ser descartada. Isso mostra a fragilidade e a perversidade das ideologias que destroem a sensibilidade e a natureza do cuidado e da proteção, enaltecendo a vaidade, o desprezo e o descuido pela vida. Nossa missão e a nossa meta é promover uma sensibilidade religiosa capaz de construir uma Igreja viva e vibrante na Diocese de Caçador.

Iniciamos o mês missionário com a presença repleta de padres, cristãos leigos e leigas e religiosas participando do anúncio do ano Jubilar e a feliz ordenação diaconal dos seminaristas Eleandro e Edimar, na Catedral de Caçador. Novas vocações, novo vigor surgindo e fortalecendo a missão nessa Diocese. Afirma o Papa Francisco: “No ardor missionário a missão não é apenas uma parte da nossa vida, não é um apêndice ou um momento. É algo que não podemos arrancar de nós mesmos. Portanto, cada cristão pode dizer: “Eu sou uma missão nesta terra, e para isso estou neste mundo” (idem n. 174). Com essa consciência, queremos fortalecer a dimensão missionária, onde os cristãos leigos e leigas, os religiosos e os sacerdotes tenham a alegria de serem missionários. A grande missão é cada vez mais exigente e urgente, cuidar e proteger a vida. Peçamos ao bom Deus que fortaleça a vocação dos líderes dessa querida Diocese para que a Alegria do Evangelho atinja os corações de toda a gente que busca a salvação.

Que Nossa Senhora Aparecida, mãe amável e cheia de vigor e ternura, seja sempre a figura forte que constantemente aponta para a missão deixada pelo seu Filho Jesus, ao qual devemos ser fieis e perseverantes. Maria, é sempre a figura da Igreja. Ela precede todos os caminhos rumo à santidade. Não podemos imaginar a nossa Igreja sem a presença da mãe. Ela acolhe e protege, cuida e fortalece, salva e anima todos os filhos e filhas na busca da felicidade.

Valorizemos as orações populares, como a recitação do terço que une e aproxima as pessoas na família e nas comunidades de fé, deixando-se encher do vigor humanitário que reconstrói a sociedade desestruturada pelo abandono de Deus.

Dom Frei Severino Clasen

Ele nasceu em 1954, em Petrolândia (SC), foi ordenado padre em 1982 e bispo em 2005. Estudou Filosofia e Teologia em Petrópolis (RJ). Tem pós-graduação em Administração para a Organização do Terceiro Setor na Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP). Além disso, foi coordenador do Departamento de Santuários da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil e fez parte do Conselho Diretor do Serviço Franciscano de Solidariedade (Sefras), do Convento de São Francisco, em São Paulo.

Na 49ª Assembleia Geral da CNBB, dom Severino foi eleito presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato, com um mandato de quatro anos.

Espalhe essa coluna:

© 2011 - 2017. Todos os direito reservados a Editora Rio do Peixe.