Youtube Twitter Facebook Instagram

Sábado - 21.10.2017

Tarde e Noite:Encoberto com chuva na região meio-oeste de SC


MÍNIMA: 15º - MÁXIMA: 22º

Diário Rio do Peixe

Sábado - 21.10.2017

Tarde e Noite:Encoberto com chuva na região meio-oeste de SC


MÍNIMA: 15º - MÁXIMA: 22º

Colunistas

Vós sois de Cristo e Cristo é de Deus

O mês de agosto se caracteriza pelo mês vocacional

07/08/2017 - 10:28:58
Dom Frei Severino Clasen

A conversão do Apóstolo Paulo é uma bela referência para refletirmos sobre a vocação. Há chamado porque tem resposta. Não existe chamado sem resposta. Somos criaturas amadas por Deus. A resposta ao amor de Deus que nos criou é fazer a sua vontade. Portanto, somos chamados a reproduzir amor entre nós e amor a Deus. 

O Salmista reza: “Ficai sabendo que o Senhor é Deus; Ele nos fez e somos seus, seu povo e seu rebanho.” (Sl 100/99,3). O ser humano se completa quando se deixa conduzir pelo Espírito Santo que renova todo o seu ser, o seu agir, a sua relação com todas as criaturas. E o salmista continua conferindo a origem desse amor de Deus por nós: “Pois o Senhor escolheu para si Jacó, fez de Israel sua posse” (Sl 135/134,4). 

O mês de agosto se caracteriza pelo mês vocacional. Estamos comemorando 20 anos de circulação do Jornal “Fonte”, instrumento que aprimora a vocação cristã e os serviços para implementar a Alegria do Evangelho na vida das pessoas de boa vontade em toda a Diocese. Muitas reflexões foram feitas sobre todas as vocações. Deus nos chama para a felicidade, mas nossa missão é trilhar os caminhos apontados pelo Evangelho e construir a felicidade no dia a dia. Perdendo a essência da relação entre o divino e o humano, a vida se atrapalha e não conquistamos a felicidade.

Jesus Cristo, o Verbo Divino, nos convoca a seguirmos sua mensagem de afeto e de amor. O grande amor revelado por Deus no Antigo Testamento é encarnado por Jesus Cristo que nos convoca diariamente, pedindo para termos confiança nele, amando-o “de todo o coração, com toda a mente e com toda a força” (Mc 12,33). Em todas as semanas do mês de agosto deveríamos nos ocupar com uma vocação específica. Valorizar as opções de todas as pessoas e entender que ninguém fica ausente do amor de Deus que nos convoca para uma missão. A família, o primeiro ambiente da vida, é o espaço mais sagrado onde Deus se faz morada e habita entre nós. Na família que se abre para Deus tudo dá certo e a alegria toma conta dos pais e filhos. A comunidade de fé, é o espaço ampliado onde podemos nos sentir chamados e curvados diante da misericórdia e bondade de Deus. Ele nos chama para dar sabor à vida através do seguimento de seu Filho Jesus e implantar na comunidade o espírito bom que gera justiça, afabilidade, amor e ternura. Espaço privilegiado para refletir sobre o chamado à vida consagrada, vocação diaconal, sacerdotal, os ministérios ordenados e de vida consagrada. Jesus nos motiva a pedir ao Senhor da messe que mande trabalhadores para sua colheita (Lc 10,2). Abertos para a grandeza da missão nesse mundo, descobrimos que Deus toma iniciativa e chama. Nossa postura é de obediência, de escuta, descobri que de fato Deus espera e conta conosco. O mundo precisa de Deus. Cabe às pessoas de boa vontade descobrir suas potencialidades e lançar-se sem medo a apascentar o rebanho do Senhor. 

Que nos interessemos em seguir as orientações da Diocese, incrementando as pastorais, os movimentos e associações para que o nosso caminhar seja de encontro e com o plano de Deus que chama e nos conduz para humanizar e espiritualizar o mundo. 

A apresentação do Plano Diocesano de Pastoral deve ter animado nossas paróquias e comunidades para nos sentirmos participantes da vocação à santidade que o Batismo nos confere. Sigamos cultivando o espírito de oração, meditação, para formar os grupos de amigos de Jesus e responder ao chamado de Deus para a santificação, caminho seguro para a nossa felicidade. Que Maria Santíssima nos alerte para que sigamos o chamado do mestre Jesus e nossas ações e testemunho de cristãos supere o ódio, o rancor, os vícios e a corrupção.cupom desconto extra

Dom Frei Severino Clasen

Ele nasceu em 1954, em Petrolândia (SC), foi ordenado padre em 1982 e bispo em 2005. Estudou Filosofia e Teologia em Petrópolis (RJ). Tem pós-graduação em Administração para a Organização do Terceiro Setor na Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP). Além disso, foi coordenador do Departamento de Santuários da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil e fez parte do Conselho Diretor do Serviço Franciscano de Solidariedade (Sefras), do Convento de São Francisco, em São Paulo.

Na 49ª Assembleia Geral da CNBB, dom Severino foi eleito presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato, com um mandato de quatro anos.

Espalhe essa coluna:

© 2011 - 2017. Todos os direito reservados a Editora Rio do Peixe.