Youtube Twitter Facebook Instagram

Domingo - 22.04.2018

Alterna céu claro a sol e nuvens, intervalos de nublado


MÍNIMA: 10º - MÁXIMA: 28º

Diário Rio do Peixe

Domingo - 22.04.2018

Alterna céu claro a sol e nuvens, intervalos de nublado


MÍNIMA: 10º - MÁXIMA: 28º

Colunistas

Dia da água – Somente hoje? ou deveria ser sempre.

Então quando for jogar lixo fora, lembre que você pode estar contaminando a água que alguém ou você mesmo vai tomar

22/03/2018 - 10:42:19
Charles Seidel

Neste dia 22 de março estamos lembrando novamente o Dia Mundial da Água. Congressos, seminários , palestras são ministradas por todo o Planeta.  Em SC saiu do forno o novo Plano Estadual dos Recursos Hídricos, que enfoca a preservação da água,  melhorar o uso, a qualidade e a gestão da água.

Todos sabemos que precisamos melhorar a qualidade, que a quantidade de forma geral não vai mudar, pois está relacionada ao ciclo hidrológico. Porém o ciclo hidrológico limpo é utopia.  A água potável está cada vez mais rara, e a qualidade dos mananciais está cada vez pior. É normal vermos que pouco se investe na conservação e recuperação da água. Para conseguirmos, teríamos que atacar em todos os segmentes: agropecuária, indústria, abastecimento e saneamento básico... Mas o maior investimento é sem dúvidas nenhuma, na educação. Somente com um povo educado e consciente é que teremos a real melhora na qualidade da água.

Dentro do processo de Gestão da água, é importante lembrar que precisamos fazer bem  todas as fases: Diagnóstico, Planejamento e Ação (ou implementação). Cada faze tem sua importância, e todas devem  ser valorizadas. Um Diagnóstico deve conter todos os detalhes que permitam uma  perfeita caracterização das condições dos recursos hídricos. Para o Planejamento, ou Plano dos Recursos Hídricos, é de fundamental importância termos um diagnóstico bem feito. Porém aí temos um problema. Em Santa Catarina até temos dados abundantes da quantidade de água, mas carecemos de mais dados sobre a qualidade. Um plano baseado em dados incompletos pode ser um tiro na água. E como diz a música alguém pode perguntar: Que tiro foi esse?

Na verdade, de forma geral, viemos há anos dando tiros na água. Salvo alguma ações, como foi  o projeto Microbacias I e II, que se preocuparam com a qualidade da água, mesmo assim de forma pouco representativa, e é claro, o diagnóstico foi feito apenas em microbacias do meio rural, o que é o foco da Epagri. Mas o importante é que tivemos algumas ações efetivas sobre o tema, mas que deveriam ser contínuas, envolvendo o meio rural e urbano, a bacia hidrográfica como um todo.

Adotar a Bacia Hidrográfica como uma unidade de planejamento é fundamental para o uso correto e a conservação dos recursos hídricos. Sabemos que tem dificuldades, pois os municípios extrapolam os divisores da bacia.  Mesmo assim, é importante considerarmos essa estratégia como uma questão de sobrevivência.

Mas com certeza, tudo esbarra na questão econômica. Só que temos que lembrar que a água é fundamental para a nossa sobrevivência. Se não temos água de qualidade, vamos nos envenenando aos poucos. A água é o sangue da Terra, e nós nos alimentamos desse “sangue”, se ele está limpo, nós também estaremos limpos e seguiremos vivos e saudáveis. A lei nos diz que: Todos tem o direito ao acesso a água de qualidade. Será que é assim? Ou somente para quem compra e paga caro pela água mineral? E será que a água mineral não pode ser contaminada? Se até o Aquifero Guarani já tem pontos com contaminação...

 Então quando for jogar lixo fora, lembre que você pode estar contaminando a água que alguém ou você mesmo vai tomar. Vai caçar?  você vai eliminar pássaros e animais que são disseminadores de sementes, cujas árvores são responsáveis pela mata ciliar, que protege a água que você está tomando. Vai pescar? Pode exterminar peixes que controlam borrachudos. Vai aplicar agrotóxicos? Cuidados devem ser tomados para não contaminar o lençol freático. Tu

Charles Seidel

Eng. Agrônomo, Prof. Universitário. M.Sc. Engª Agrícola. Gestão da água, climatologia e agroeocologia

Espalhe essa coluna:

© 2011 - 2018. Todos os direito reservados a Editora Rio do Peixe.